O índice glicêmico e a perda de peso explicados

Açai

Não muito tempo atrás, a mídia relatou que deveríamos reduzir nossa ingestão de gordura por motivos de saúde. Consequentemente, os carboidratos ficaram sob os holofotes e uma nova tendência se desenvolveu: comer menos gordura e encher de carboidratos.

Os carboidratos podem ser pobres em gordura, mas comem demais e o excesso de calorias é fácil e facilmente convertido pelo seu corpo em gordura. Dado que a maioria das pessoas pensa apenas em carboidratos como alimentos ricos em amido, como pão e massa, a nova tendência resultou em cinturas em rápida expansão! Felizmente, frutas e legumes também são carboidratos – comumente conhecidos como carboidratos “complexos”.

Estes são os “mocinhos” porque são digeridos lentamente e ajudam a reduzir a fome e manter os níveis de açúcar no sangues equilibrados. Isso é muito importante para pessoas que tentam manter ou controlar seu peso. Sempre que os níveis de açúcar no sangue caem muito baixo, isso muitas vezes é um gatilho poderoso enviando-o para o armário em busca de açúcar ou carboidratos ricos em amido.

Bons carboidratos são fáceis de detectar. São as frutas e legumes frescos de cores vivas, como pimentas, cenouras, tomates e espinafre.

O índice glicêmico, também conhecido como IG, é uma medida que pode nos ajudar a diferenciar os carboidratos e escolher aqueles que têm mais controle da fome e maior potencial para manter os níveis de açúcar no sangue.

O IG é um sistema que indica a rapidez com que um determinado alimento desencadeia um aumento nos níveis de açúcar no sangue. Um alimento com um IG alto causará um rápido aumento no nível de açúcar no sangue, enquanto um alimento com baixo IG criará um aumento mais lento.

O IG passa de 0 a 100 e usa glicose pura como ponto de referência, com o valor máximo de 100. Por exemplo, uma banana tem um escore gastrointestinal de 62, alimentos entre 55-70 são médios e alimentos acima de 70 são considerados alto IG.

Maçãs de baixo IG (39), laranjas (40), pêras (38), grãos de soja (15), feijão (29), lentilhas (29), mingau (49), pão de centeio integral (41), espiga de milho (35), amendoim (15).

Pão branco (70), pão francês (95), arroz branco (70), batatas assadas (85), purê de batatas (90), cenouras cozidas (85)

Fatos do índice glicêmico.

Os alimentos só aparecem no GI se eles contêm carboidratos. Carne, frango, ovos, peixe e queijo não recebem um valor GI, pois são fontes de proteína. No entanto, carnes processadas, como salsichas, podem ser incluídas porque contêm farinha que é um carboidrato. Os alimentos com IG baixo podem ajudar a controlar o apetite, criando uma sensação mais completa por mais tempo depois de comer, o que é uma boa notícia para o controle de peso.

Gorduras e proteínas retardam a absorção de carboidratos, enquanto o IG dos alimentos pode ser ainda mais afetado pelo cozimento, processamento, amadurecimento e variedade. Isso torna difícil avaliar com precisão o IG de uma refeição típica.

Alimentos com baixo IG podem ser ricos em calorias. Por exemplo, uma xícara de feijão é aproximadamente 210 calorias, mas 1/2 xícara de amendoim é aproximadamente 450 calorias!

Os alimentos com IG alto são úteis após o exercício, quando as reservas musculares de açúcar precisam ser restauradas rapidamente.

Uma refeição equilibrada típica deve fornecer uma mistura de alimentos, incluindo gorduras, proteínas e carboidratos. Ao incluir alimentos com IG baixo em cada refeição, o organismo leva mais tempo para absorver os carboidratos, o que ajuda a diminuir a absorção geral e a manter os níveis de açúcar no sangue mais estável ​​entre as refeições

Estes, artigo não se destinam a diagnosticar o tratamento da cura de qualquer doença apenas informa que a meios de prevenir.
Tenha mais saúde – Acai Berry Extreme


Se você acha que o artigo foi útil e você poder me ajuda com uma pequena doação, ficarei feliz com o incentivo para continua ajudando.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *